Projeto de Lei Declara as “Heroínas de Tejucupapo” como Patronas da Defesa dos Direitos das Mulheres em Pernambuco

Projeto de Lei Ordinária nº 1566/2020, de autoria da Deputada Delegada Gleide Ângelo, declara Maria Camarão, Maria Quitéria, Maria Clara e Maria Joaquina (as “Heroínas de Tejucupapo”) como Patronas da Defesa dos Direitos da Mulher no Estado de Pernambuco.

A PL é uma justa homenagem às mulheres pernambucanas que entraram para a história do Brasil, pelo exemplo de altivez, resistência e heroísmo em defesa das suas terras contra a invasão holandesa.

No dia 23 de abril de 1646, soldados holandeses tentavam saquear a então vila de São Lourenço de Tejucupapo, no município de Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco e escolheram o momento em que haveria poucos homens no local. Não esperavam que as mulheres estivessem organizadas e prontas para a luta. Com paus, panelas, água fervente, pimenta e tudo que tinham em mãos como armas, eles resistiram bravamente e expulsaram os invasores.

A Batalha das Mulheres de Tejucupapo marca o que é considerada a primeira batalha na história brasileira em que as protagonistas foram elas. A partir daí elas passaram a ser tratadas como “Heroínas”.

Para manter viva a memória dessa importante passagem histórica, há 27 anos é realizada a encenação da batalha, pelo Grupo Cultural Heroínas de Tejucupapo. Todo último domingo de abril, dezenas de mulheres de Tejucupapo viram atrizes: sobem o Monte das Trincheiras, vestem uma roupa de época e vão para o campo de batalha.

A vitória destas quatro heroínas na luta pela sobrevivência da sua comunidade nos remete à força e à organização de todas nós, mulheres, nas batalhas contemporâneas contra os retrocessos e pela igualdade de direitos em nossa sociedade”, declara a autora do Projeto a Deputada Delegada Gleice Ângelo.

Foto: Teatro das Heroínas de Tejucupapo
Portal Goiana PE